Mato Grosso, Terça, 01 de Dezembro de 2020
Saude | recrutando voluntários
Quinta, 19 de Novembro de 2020
Hospital Júlio Müller busca profissionais da saúde voluntários para teste da vacina anticovid
Fotografia:Reprodução

O Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), está recrutando voluntários para os testes da CoronaVac, a vacina contra o coronavírus em humanos. A baixa procura fez com que a unidade hospitalar fizesse novo chamamento. Os profissionais de saúde que estejam no combate diário com a pandemia são o público alvo.

 

Segundo o professor Cor Jesus Fernandes Fontes, da Faculdade de Medicina (FM) da UFMT e pesquisador do Núcleo de Pesquisa Clínica do HUJM, é esperado cerca de 800 participantes voluntários nos testes. Até o momento apenas 160 voluntários, 20% do total esperado, foram cadastrados. “Eles têm que ser profissionais de saúde que façam atendimento de pessoas com ou suspeitas de Covid-19”.

 

Os voluntários precisam preencher alguns pré-requisitos. Precisam atuar como médicos, enfermeiros, bioquímicos, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, dentistas, com registro em conselho de classe, ter idade acima de 18 anos e sem limite superior de idade, desde que esteja atuando na atenção a pacientes com Covid-19. Todos devem ter registro de classe.

 

Desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, a vacina é uma das 10 que se encontram na terceira fase – a penúltima antes da aprovação. “Se passar por essa fase e ela se mostrar eficaz, aí ela vai pra fase 4, onde será aprovada e comercializada”, explica Fontes. O professor pontua que a expectativa é que o imunizante ofereça a proteção necessária, já que se utiliza uma tecnologia bastante tradicional.

 

A vacina utiliza uma versão inativa do vírus. Isso significa que o coronavírus foi exposto ao calor e substâncias químicas até não ser capaz de se reproduzir e representar riscos ao paciente. Feito isso, a inoculação é feita no organismo, que desenvolve formas de combater a doença sem deixar o indivíduo enfermo.

 

“Esse vírus inteiro, ele tem a vantagem de induzir uma resposta imunológica mais alta, mais poderosa, porque o vírus vai completo no organismo da pessoa imunizada. É diferente de quando você dá uma partícula viral e você estimula uma resposta imune apenas contra essa partícula”, afirma Fontes.

 

Para quem tem interesse em participar do ensaio como voluntário, o contato com o HUJM deve ser realizado a partir dos telefones (65) 3615-7319 e (65) 98466-5246, ou WhatsApp (65) 98466-5246.

 

Mais informações também podem ser obtidas através do e-mail: profiscov2cuiaba@gmail.com e imprensa.hujm@gmail.com. Todos os interessados devem responder ao questionário de avaliação disponível na página do Instituto Butantan, pelo link.

 

 

Fonte:Redação/Assessoria
FOTOS DA NOTÍCIA