Mato Grosso, Sexta, 20 de Setembro de 2019
Politica | velha política
Segunda, 05 de Agosto de 2019
"É hora de Mendes dar uma atenção mais carinhosa aos aliados", dispara ex-governador
Fotografia:Alair Ribeiro/Reprodução

Um dos principais nomes do DEM em Mato Grosso, o ex-governador Júlio Campos afirmou que o governador Mauro Mendes (DEM) deve voltar um pouco da sua atenção ao diálogo político nesses próximos meses do ano.

 

Na avaliação do democrata, ao longo do primeiro semestre, Mendes esteve focado em resolver os problemas de Mato Grosso, especialmente as questões financeiras, dada a situação em que encontrou o caixa do Estado.

 

Passado esse primeiro momento, segundo Júlio Campos, é hora de o governador abrir o debate político com o próprio DEM e demais siglas aliadas.

 

“O governador ficou envolvido nessa crise econômica e financeira desde que assumiu o governo. Ele mergulhou de corpo e alma para tentar resolver, apagar o fogo do momento econômico e financeiro que vive Mato Grosso”, disse Júlio.

 

“Acredito que agora, aprovada essa lei que o governo precisava, está na hora de o governador dar uma atenção mais carinhosa ao partido, aos aliados políticos. Até se quisermos sobreviver politicamente no pleito eleitoral do ano que vem, é necessário ter uma perspectiva de melhor relacionamento”, acrescentou o político.

 

As declarações foram dadas durante entrevista concedida ao Jornal do Meio-Dia, daTV Vila Real.

 

Na oportunidade, Júlio disse que até mesmo a Casa Civil – que é responsável pela articulação política do Paiaguás – não teve esse aspecto como prioridade nos primeiros meses da gestão de Mendes.

 

“O próprio secretário Mauro Carvalho ficou sobrecarregado com assuntos administrativos. Até agora está muito difícil o acesso ao primeiro-escalão. Mesmo assim, estou confiando que nessa segunda etapa seja mais fácil o relacionamento”, afirmou o ex-governador.

 

“Por enquanto [a falta de diálogo político], é perdoável, em função do momento. Mas nesse segundo semestre o governador tem que se cercar melhor, com uma equipe mais política ao seu lado, e determinar que seus secretários também abram mais o governo para o diálogo político”, concluiu Júlio.

Fonte:Redação /Mídia News
Autor:Camila Ribeiro
FOTOS DA NOTÍCIA