Mato Grosso, Quarta, 27 de Janeiro de 2021
Policia | VIOLÊNCIA SEM FIM
Segunda, 11 de Janeiro de 2021
Jovem executado em Sorriso enquanto assistia TV pode ter sido morto no lugar de "amigo"
Fotografia:Reprodução

Vitor Jesus da Silva Flores, 20 anos, assassinado a tiros durante a noite do último sábado (09) enquanto assistia TV, deitado no sofá de casa, no bairro Jardim Amazonas, em Sorriso, pode ter sido executado por engano, e morreu no lugar do amigo Abner Elias da Conceição Sales, 23 anos, jurado de morte apor ter matado a esposa acidentalmente.

 

De acordo com a ocorrência, Abner foi preso pelo homicídio da esposa, Angélica Aparecida Gaio, 30 anos, atingida por um tiro de arma de pressão no rosto disparado pelo marido acidentalmente enquanto ele ‘brincava’ com a arma.

 

No entanto, o acusado foi solto na manhã de sábado (09) após pagar fiança de R$ 1,1 mil.

 

Vitor, que era amigo do casal, ofereceu sua casa para que Abner morasse temporariamente, já que estava recebendo ameaças de morte de uma facção criminosa devido à morte da mulher.

 

Ainda segundo informações preliminares, Abner teria dormido durante todo o sábado na casa do amigo, após deixar a cadeia. Porém, teria levantado por volta das 19h20 após escutar os barulhos de tiros na residência e encontrou Vitor deitado no sofá já morto.

 

A Polícia Militar (PM) isolou o local, comunicou o fato à Polícia Civil, à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência. 

 

Em seguida, os militares saíram em rondas pela região buscando pelos assassinos, porém, os criminosos não foram encontrados.

 

De acordo com o delegado que investiga o caso, Getúlio Daniel, essa é apenas uma das linhas de investigação que a polícia segue, já que há muita coisa a apurar, pois, se trata de dois homicídios que aconteceram quase que simultaneamente, fatos que aconteceram muito rápido com um elo, Abner, presente nos dois homicídios.

 

O rapaz foi conduzido à delegacia, nesse caso, como testemunha e prestou depoimento. 

 

"Ele [Vitor] era amigo do Abner e estava cedendo a casa para ele ficar, porque, após o homicídio, ele começou a ser ameaçado. Tudo aconteceu muito rápido, um homicídio atrás do outro. Ainda há essa obscuridade relativo à motivação do crime. Existem diversas linhas de investigação", explicou o delegado.

 

Fonte:Redação/Repórter MT
Autor:Mário Andreazza
FOTOS DA NOTÍCIA