Mato Grosso, Sábado, 20 de Julho de 2019
Geral | possível negligência
Terça, 30 de Abril de 2019
Funcionário morto em fazenda recebeu ordens para podar árvore que estava próxima à rede elétrica
Fotografia:Montagem/Ubirata24horas

A Polícia Judiciária Civil de Sorriso instaurou procedimento para apurar a morte do trabalhador rural Carlos Alberto Andreis, de 47 anos, ocorrida nesta segunda-feira (29), em uma propriedade rural da Comunidade São Luiz Gonzaga.

 

Conforme noticiado pelo site ubirata24horas, o trabalhador morreu eletrocutado depois de esbarrar em um fio de alta tensão enquanto fazia a poda parcial de uma árvore.

 

Em depoimento a polícia, a esposa de Carlos Alberto, cuja identidade não foi revelada, afirmou que o marido havia recebido ordens do proprietário da área para realizar a poda de alguns galhos que estariam próximos a rede de alta tensão.

 

Ainda de acordo com a viúva, Carlos Alberto exercia a função de caseiro da fazenda e não tinha nenhuma experiência na execução desse tipo de serviço. 

 

Mesmo demonstrando certo receio, o funcionário subiu na árvore e poucos minutos depois de iniciar a poda foi atingido pela descarga elétrica.

 

O corpo da vitma ficou enroscado entre os galhos da árvore de onde só foi retirado após a chegada da Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec).

 

Apesar de estar realizando um trabalho de alto risco, o caseiro não fazia uso de equipamentos de segurança o que pode caracterizar negligência por parte do empregador.

 

 

 

Fonte:Redação
Autor:Sirlei Maria
FOTOS DA NOTÍCIA