Mato Grosso, Sexta, 17 de Janeiro de 2020
Geral | desespero
Sexta, 27 de Dezembro de 2019
Família pede ajuda para encontrar menino que desapareceu há 10 dias em distrito de Nova Ubiratã
Fotografia:Divulgação

Um menino de 10 anos está desaparecido há 10 dias, no Distrito de Entre Rios, no município de Nova Ubiratã, 506 km de Cuiabá, desde que saiu de casa dizendo que iria na casa do irmão, que mora na mesma comunidade.

 

A tia de Claudemir Ramos Quintino, Cássia Barbosa Ramos, que mora em Guarantã do Norte, que fica a 398 km de Nova Ubiratã, e está na região para ajudar nas buscas, disse que a família não sabe mais onde procurar e que recebeu várias pistas, mas nenhuma delas os levou até a criança.

 

"Está ficando cada dia mais difícil, porque não sabemos mais onde procurar", disse.

 

Claudemir saiu de casa por volta de meio dia do dia 16 e não retornou. Ele estava com uma camiseta azul clara e uma bermuda azul.

 

No dia em que ele desapareceu, segundo a tia, uma vizinha falou que o viu às 14h, sentado em um toco, e depois seguiu em direção à casa do irmão dele.

 

"Conversei com o dono da borracharia e ele disse que ele passou lá com outras crianças para remendar o pneu das bicicletas dos coleguinhas. Essa é a última informação que tivemos dele. Já são 11 dias e não temos nenhuma pista concreta do que possa ter acontecido com ele", disse.

 

Desde então, de acordo com a tia, já foram recebidas várias pistas, mas que nenhuma delas se concretizou.

 

"Outro homem falou que o viu no primeiro travessão perto do Distrito de Entre Rios, mas foram até lá e não encontramos nada. Foi mais uma notícia falsa. Não sei porque as pessoas brincam com os sentimentos da gente", disse.

 

Nessa quarta-feira (25), dia de Natal, um morador disse ao padrasto de Claudemir que ele estava por perto e que a pessoa que estava com ele estava com medo de entregá-lo. Mas, quando o padrasto perguntou à ela sobre o menino, ela respondeu que não sabia de nenhuma criança e saiu.

 

"Queremos ele de volta. Se alguém estiver com ele, o devolva por favor. A gente já não sabe mais o que fazer. Estamos de mãos vazias", afirmou.

 

A Polícia Civil informou que está apurando o caso e que o padrasto já foi ouvido. As investigação continuam.

Fonte:Redação / G1 MT
Autor:Daiane Stela e Yasmim Oliveira
FOTOS DA NOTÍCIA