Mato Grosso, Segunda, 17 de Junho de 2019
Geral | proporções desacerbadas
Terça, 26 de Março de 2019
Em nota, prefeitura esclarece boatos sobre suposto atentado em escola pública de Nova Ubiratã
Fotografia:Divulgação

A Prefeitura de Nova Ubiratã se posicionou oficialmente sobre os rumores de um atentado que estaria supostamente sendo planejado por um grupo de estudantes da Escola Municipal Tancredo Neves, situada na área central do município.

 

No documento, divulgado na manhã desta terça-feira (26), o poder público classificou o ato com um incidente isolado e que ganhou proporções desacerbadas após ser veiculado em um meio de comunicação local.

 

“Não houve um planejamento de atos criminosos contra estudantes da rede municipal de ensino, mas sim um desentendimento entre um grupo de adolescentes que estudam na mesma sala de aula”, diz trecho da nota que continua. “Movida pela emoção, e em clara tentativa de amedrontar os colegas, uma das jovens afirmou ter ligação com um dos autores do massacre que culminou com a morte de cinco estudantes e duas servidoras públicas em uma escola estadual de Suzano, interior do Estado de São Paulo”, esclarece.

 

Conforme a Administração Municipal, mesmo se tratando de uma afirmação fantasiosa o incidente foi discutido durante uma reunião com a direção da instituição de ensino, estudantes e pais dos jovens envolvidos.

 

O caso também foi comunicado ao Conselho Tutelar e a Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil.

 

Ainda de acordo com a prefeitura, foi exatamente uma dessas instituições que afirmou de forma precitada e errônea, durante entrevista a um site local, que as estudantes estariam se “mobilizando” para realizar um atentado.

 

“Influenciados pelo imbróglio causado por quem deveria, por obrigação institucional, promover a parcimônia, dezenas de pais optaram em interromper parcialmente o ano letivo de seus filhos, causando com isso danos irreparáveis ao aprendizado destes alunos (....). As estudantes envolvidas no incidente estão recebendo acompanhamento profissional para garantir que não tenham sequelas psicológicas do que, até então, era pra ser uma “brincadeira” entre crianças e que acabou tomando proporções desacerbadas”, se posiciona a prefeitura que afirma ainda ter tomado todas as providências para que incidentes semelhantes não voltem a acontecer.

 

“A Prefeitura Municipal de Nova reitera seu compromisso com a integridade moral, física e a segurança dos mais de 2,6 mil estudantes que utilizam diariamente nossas 12 instituições de ensino, assim como a confiança de que fatos isolados como esse não se repitam”, conclui a nota.

 

Confira a nota na íntegra

Em relação à noticiada veiculada em um meio de comunicação local, afirmando que estudantes da Escola Municipal Tancredo Neves estariam se mobilizando para a prática de um suposto atentado, a Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã vem a público esclarecer que;

 

1 - Não houve um planejamento de atos criminosos contra estudantes da rede municipal de ensino, mas sim um desentendimento um grupo de adolescentes que estudam na mesma sala de aula.

 

2 – Movida pela emoção, e em clara tentativa de amedrontar os colegas, uma das jovens afirmou ter ligação com um dos autores do massacre que culminou com a morte de cinco estudantes e duas servidoras públicas em uma escola estadual de Suzano, interior do Estado de São Paulo.

 

3 – Mesmo se tratando de uma afirmação estapafúrdia, a direção da escola, apoiada pela Secretaria Municipal de Educação, convocou uma reunião com os pais dos alunos envolvidos. Por questão de cautela, a direção também se reportou as autoridades competentes, entre elas a Polícia Judiciária Civil, Polícia Militar e o Conselho Tutelar.

 

4 – Findada a apuração do caso, foi constatado que a afirmação feita pela adolescente, cuja identidade foi preservada por questão de segurança, era fantasiosa, assim como o relato de um investigador da Polícia Civil que sem medir as consequências concedeu entrevista ao referido meio de comunicação que sequer conta com um profissional habilitado.

 

5 – Influenciados pelo imbróglio causado por quem deveria, por obrigação institucional, promover a parcimônia, dezenas de pais optaram em interromper parcialmente o ano letivo de seus filhos, causando com isso danos irreparáveis ao aprendizado destes alunos.

 

6 – As estudantes envolvidas no incidente estão recebendo acompanhamento profissional para garantir que não tenham sequelas psicológicas do que, até então, era pra ser uma “brincadeira” entre crianças e que acabou tomando proporções desacerbadas.

 

7 – A Prefeitura Municipal de Nova reitera seu compromisso com a integridade moral, física e a segurança dos mais de 2,6 mil estudantes que utilizam diariamente nossas 12 instituições de ensino, assim como a confiança de que fatos isolados como esse não se repitam.

 

 

 

 

Fonte:Redação
Autor:Nilva Santos
FOTOS DA NOTÍCIA