Mato Grosso, Terça, 26 de Maio de 2020
Geral | em alta
Sexta, 22 de Maio de 2020
Casos de feminicídio crescem 47% em Mato Grosso
Fotografia:Reprodução/Ilustrativa

O registro de feminicídios cresceu 47% nos primeiros quatro meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado, em Mato Grosso. Os números são da Superintendência do Observatório da Violência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), que indicam que os números têm sido maiores durante o isolamento social, ao contrário de outros tipos de crimes, que diminuíram no mesmo período.

 

Foram 15 casos registrados nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril de 2019. Já em 2020, o número aumentou para 22, sendo o mês de março com maior incidência: sete registros. Isoladamente o mês representou um aumento de 400%, em março de 2019 foram dois crimes registrados. Os meses de janeiro, fevereiro e abril de 2020 apresentaram cinco casos cada, enquanto em 2019 foram seis, três e quatro, respectivamente.

 

O Observatório também concluiu o levantamento de homicídios de vítimas femininas (todas as idades), que incluem todas as motivações. De janeiro a abril de 2020 foram registrados 28 casos, contra 31 no mesmo período de 2019 e 30 em 2018. Do total deste ano, um caso ocorreu em Cuiabá e o restante em municípios do interior do Estado.

 

Entre as motivações estão a passional (57%), a apurar (14%), vingança ou rixa (11%), drogas (7%), fútil (7%), e erro de execução (4%). Quanto ao meio empregado, a arma cortante ou perfurante foi a mais utilizada (54%), seguida de arma de fogo (21%), outros (11%), e arma contundente e força muscular (7% cada).

 

Com relação às ocorrências envolvendo vítimas femininas de 18 a 59 anos de idade em Mato Grosso, o primeiro quadrimestre deste ano apresentou redução de 14% em relação ao ano passado. Foram feitos 12.707 registros em 2020, enquanto entre janeiro e abril de 2019 foram 14.757. Os crimes de ameaça aparecem com 5.871 casos este ano e 6.889 no ano anterior (-15%), lesão corporal com 3.083 registros agora e 3.356 em 2019 (-8%), e estupro com 123 em 2020 e 130 no ano passado (-5%).

 

Redução também em Cuiabá

Na capital, essas reduções seguem a mesma linha. De janeiro a abril deste ano foram registradas 3.120 ocorrências de vítimas femininas de 18 a 59 anos de idade. Já no mesmo período de 2019 foram 3.434, representando -9% em números de registros. O crime de ameaça é o que possui mais casos, com 1.185 (2020) e 1.360 (2019), com redução de 13%. Lesão corporal também apresentou -12% de casos (542 este ano e 614 no ano anterior).

 

Ainda em Cuiabá, os crimes de assédio sexual e importunação sexual reduziram 50% e 6%, respectivamente. Foram dez registros em 2020 e 20 em 2019 no caso de assédio e 15 este ano e 16 no ano passado, no caso de importunação sexual. Foram dois registros a mais no caso de estupro, passando de 22, no ano anterior, para 24 casos, este ano.

 

Denúncia e socorro

É importante ressaltar que todos os canais de denúncia e socorro continuam funcionando normalmente, mesmo no período de isolamento social por conta do novo coronavírus (Covid-19). Estão à disposição os disques-denúncia 190, 197, 180 e 181. Além disso, as delegacias (PJC-MT) também estão com atendimento presencial normal, assim como a Patrulha Maria da Penha (PM-MT), que faz rondas para atendimento às vítimas que possuem medida protetiva.

 

Algumas Delegacias Especializadas de Defesa da Mulher criaram, em função do período de isolamento social, canais para denúncias e atendimento psicológico pelo serviço de WhatsApp. Em Cuiabá, o número (65) 99973-4796 está disponível para as vítimas. Em Várzea Grande, a Delegacia que tem atribuições investigativas de crimes contra vítimas mulheres, crianças e idosas, criou o número (65) 98408-7445 para receber denúncias via WhatsApp.

 

Fonte:Redação/Assessoria
FOTOS DA NOTÍCIA