Mato Grosso, Domingo, 19 de Janeiro de 2020
Futebol-brasileiro | G-4
Segunda, 10 de Novembro de 2014
Tarde para esquecer: 4 a 1 em Gre-Nal passa por erros e carrascos apagados
Fotografia: Wesley Santos / Ag. Press Digital


As individualidades do Inter não se sobressaíram. O conjunto pouco funcionou. Para piorar, os problemas não se encerraram aí. A concentração deixou a desejar. O resultado desta combinação de equívocos? A goleada por 4 a 1 imposta pelo Grêmio no domingo, na Arena, pela 33ª rodada do Brasileirão. 

 

O GloboEsporte.com reúne as explicações do Inter para o resultado que findou uma série de nove Gre-Nais sem derrotas - mais de dois anos - e afastou o time do G4, agora é sexto, com 56. A começar pelo caráter "atípico" do placar, como definiu um conformado Abel Braga. 

 

Não se leva quatro gols com frequência. Ainda mais em um clássico. Só que o Colorado acabou envolvido pelo time de Felipão. O primeiro gol - de Luan - foi originado após um erro de Willians, que perdeu a bola para Dudu. No segundo, o de Ramiro, o volante aparece dentro da área após uma enfiada no meio da defesa.

 
O terceiro, o primeiro de Alan Ruiz, nasce de uma falta cobrada por Zé Roberto. Rafael Moura tenta afastar, mas erra o cabeceio. A bola passa por toda a área sem ser interceptada pelos colorados e o argentino apenas empurra para o fundo das redes. O último, com a defesa fora de posição, Aránguiz acaba driblado pelo meia.

 

 Os erros não foram escondidos pela direção. O vice de futebol Marcelo Medeiros, que adentrou a sala de imprensa coçando a cabeça, reconheceu a fraca produção e expôs seu descontentamento:
- Estivemos muito abaixo da nossa condição. A indignação do torcedor também é nossa. Todos os setores estiveram bem abaixo. Quando o Inter fez um gol, o

 

Grêmio marcou o terceiro e não conseguimos mais reverter. 
Abel também lamentou os equívocos apresentados durante os 90 minutos. Embora tenha dito que é complicado buscar motivos para explicar a goleada, o técnico acredita que a atenção dos comandados não tenha sido a ideal.

 

- Se analisarmos individualmente, estivemos muito abaixo. Mas um gol saiu de lateral. Eu não tenho como treinar jogada de lateral contra minha equipe. A jogada começa com um a menos, porque tem um cara batendo a lateral. É inexplicável. Até poderíamos fazer uma falta. O lateral foi batido para o meu jogador, eles bateram errado. Isso significa concentração, que não está ligado, não sei - argumentou o treinador.

 

Abel evitou colocar a culpa nos laterais embora a análise tenha sido de deficiência nesse setor. Cláudio Winck sofreu uma lesão muscular na coxa (não especificada qual), enquanto Fabrício cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Wellington Silva e Alan Ruschel foram os escolhidos e não corresponderam.

 

O que também não funcionou foi a mística de carrascos do Inter em Gre-Nais. O time contava com nomes como D'Alessandro e Nilmar, que somam, juntos, 14 gols contra o Grêmio. Nilmar até tentou uma bonita bicicleta. Já o camisa 10 fez um de seus clássicos mais apagados.

 

- Estivemos abaixo do que podemos mostrar, jogar. Foi um jogo ruim. Temos que reconhecer que o Grêmio jogou melhor. Normalmente eles aproveitaram as chances, ocorreram erros pontuais que fizeram o resultado ser esse - admite o capitão D'Alessandro, que completou sua tarde infeliz ao protagonizar briga com Alan Ruiz.

 

O resultado fez o Inter não só sair do G-4 como cair para o sexto lugar com 56 pontos. Entretanto Marcelo Medeiros mantém a confiança no conjunto para garantir a vaga à Libertadores em 2015.

 

- A vaga ao G-4 depende só do Inter. Temos cinco jogos apregoa.
A partir desta segunda-feira, quando o Inter se reapresentará, Abel busca recuperar a confiança de seu vestiário. Na quarta, o time pega o São Paulo. O jogo será disputado quarta, às 22h, no Morumbi. 

Fonte:Redação / G1
FOTOS DA NOTÍCIA