Mato Grosso, Quinta, 24 de Outubro de 2019
Cidades | PODE SER CASSADO
Sexta, 21 de Junho de 2019
Comandante do 4º Pelotão da PM de Feliz Natal acusa vereador de envolvimento com Comando Vermelho
Fotografia:Reprodução

O comandante do 4º Pelotão da Polícia Militar de Feliz Natal, Manoel Fernandes Dantas protocolou denúncia no Ministério Público Estadual (MPE) em que acusa o vereador Ademir Alves de Oliveira, o Pipoca (MDB), de acobertar ações criminosas de bandidos ligados ao Comando Vermelho (CV).

 

O documento foi protocolado no último dia 28 de maio e consta com assinatura de mais oito policiais militares lotados no batalhão do município.

 

Segundo a denúncia, o vereador teria começado a atuar em defesa dos bandidos depois que forças policiais deflagraram uma operação na cidade, no final de março, em que 13 pessoas foram presas, acusadas de tráfico de drogas, envolvimento com o CV, extração ilegal de madeira e posse ilegal de armas de fogo.  

 

Na ocasião, segundo a denúncia da PM, Pipoca teria usado a tribuna da Câmara de Vereadores para criticar a operação e dizer que os policiais “criaram flagrantes” para incriminar trabalhadores que estavam em um assentamento rural.

 

A denúncia ressalta que o parlamentar fez um discurso generalizado, distorcendo a operação e chamando de trabalhadores pessoas que tinham sido presas, sob acusação de diversos crimes graves, que foram investigados pela Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), antes de a operação ser deflagrada.

 

O comandante da PM de Feliz Natal também acusou o vereador de participar de um grupo de parlamentares que veio até Cuiabá para se reunir com o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, para pedir a troca de comando da PM de Feliz Natal, “sem nenhum motivo plausível para isso”.

 

Ainda conforme a denúncia, a organização criminosa que foi desarticulada na operação passou a cobrar alguns políticos da cidade para que atrapalhassem o trabalho de investigação da polícia. De acordo com a PM, o vereador Pipoca seria um desses parlamentares envolvidos, supostamente, ao Comando Vermelho.

 

“Uma verdadeira postura de total afronta aos poderes constituídos. Aqui, ficou devidamente explicita o envolvimento do vereador Ademir Alves de Oliveira, vulgo Pipoca”, destaca trecho do documento.

 

A Câmara de Vereadores analisa a denúncia e cogita a possibilidade de instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso, que pode resultar na cassação do mandato de Pipoca.

 

Outro lado

Em entrevista o parlamentar negou as acusações de ter defendido integrantes do Comando Vermelho, durante a operação policial. Disse, que na verdade, defendeu pessoas que cometeram crimes ambientais por ignorância. 

 

Confira o posicionamento do parlamentar:

O vereador Ademir Alves de Oliveira (Pipoca), do PMDB, alegou que as acusações contra ele fazem parte de um movimento político e que suas reivindicações estão sendo deturpadas. De acordo com o parlamentar, ele nunca teria feito apologia ao crime organizado e nem mesmo teria solicitado a mudança de comando na cidade.

 

“Na verdade eu acredito que o comandante queira ser prefeito ou algo assim. Eu defendi sim pessoas no púlpito, mas não membros do Comando Vermelho. Eu defendi pessoas que cometeram “crimes ambientais” por ignorância ou falta de informação. Agora estão dizendo tudo isso, eles que estão misturando os crimes. Eu fui até Cuiabá sim pedir aumento de policiamento porque nossa cidade estava envolta em crimes, mas não a mudança de comando”, explicou o parlamentar, confirmando ainda que acredita que o Comando (Policial) não esteja agindo de maneira adequada. 

 

“Chegou um momento em que as pessoas eram roubadas em nossa cidade e que nem iam na polícia, iam direto no chefe do Comando Vermelho para pedir os pertences de volta, e a nossa polícia aqui preocupada com outras coisas, foi isso que defendi em plenário”, argumentou o parlamentar.

Fonte:Redação / Repórter MT
Autor:Marcio Camilo
FOTOS DA NOTÍCIA