Mato Grosso, Quarta, 24 de Fevereiro de 2021
Agronegocio | volume de chuva
Segunda, 22 de Fevereiro de 2021
Semeadura do milho safrinha está atrasada em Mato Grosso
Fotografia:Reprodução

O boletim semanal do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) aponta atraso na semeadura do milho safrinha em Mato Grosso. Cerca de 20,90% das áreas estão concluídas. Com isso, a semeadura se mantém 42,26 p.p. atrás da safra passada e 26,46p.p. da média dos últimos cinco anos.

 

A região Norte continua à frente, atingindo 29,05% das áreas, já a médio-norte que apresenta os principais municípios produtores do grão no estado teve avanço de 15,27 p.p. na semana, totalizando 24,86% cultivados. Em contrapartida a região centro-sul segue como a mais atrasada, reportando 7,76% das áreas semeadas.

 

Entre as entraves estão os altos volumes de chuva no Estado, que impedem a colheita mais acelerada da soja e a disponibilidade de áreas para o cultivo do milho. "Portanto, se houver menores volumes de chuvas na próxima semana, é esperado que os trabalhos se intensifiquem em ritmo dobrado, visto que boa parte da soja já está no ponto de colher", destaca o Imea.

 

Essa incerteza pode afetar o mercado. Em Mato Grosso, o preço médio da safra 20/21, que está sendo semeada, atingiu a média de R$44,85/sc em janeiro. Com isso, houve o interesse do produtor em aproveitar os patamares de preços elevados, registrados nos últimos meses. A temporada 21/22 está com relações de troca de insumos favoráveis ao agricultor, influenciadas pela manutenção dos preços atrativos para os contratos de julho 22, que bateram os US$ 4,64/bu na média da última semana em Chicago.

 

 

 

Fonte:Redação/AgroLink
Autor:Eliza Maliszewski
FOTOS DA NOTÍCIA