Mato Grosso, Domingo, 17 de Janeiro de 2021
Agronegocio | ferramentas tecnológicas
Sexta, 27 de Novembro de 2020
Mulheres rurais da Costa Rica desenvolvem tecnologias
Fotografia:Reprodução

Um bom exemplo de protagonismo feminino no campo vem da Costa Rica. Por meio de uma iniciativa local 21 mulheres de zonas rurais trabalharam no desenvolvimento de ferramentas tecnológicas para melhorar a qualidade de vida de suas comunidades e do meio ambiente.

 

As participantes foram capacitadas nas ferramentas de acesso livre Mobile Topograber (de topografia), Kobo ToolBox (coleta de dados), Google Earth (satélite) e ArcGIS On-line (mapeamento e análise), que permitem o levantamento e o processamento de dados nas comunidades e o mapeamento de rios, cultivos, pontos de venda de produtos agrícolas e outros aspectos críticos para a tomada de decisões sobre a gestão sustentável dos recursos naturais.

 

Tudo foi virtual. As mulheres desenvolveram projetos nas áreas de reflorestamento, recuperação da biodiversidade, saneamento público, melhoria de pastos para a alimentação do gado, gestão dos recursos hídricos, manejo ambiental de aquedutos comunais, agroturismo e agroempreendimento.

 

Um dos destaques foi o projeto Arara Verde, da jovem Andrea Alvarado (de Los Santos de Upala, norte do país), que tem por objetivo registrar e monitorar, mediante ferramentas geoespaciais, os esforços da sua comunidade no reflorestamento.“Trata-se de uma zona que, na minha infância, era habitada por araras-verdes e que, devido à má gestão dos recursos naturais, deixou de ser visitada por essas aves”, disse Alvarado.

 

Outro dos projetos elogiados foi o de produção e comercialização de fungos comestíveis de Marcia Redondo, de Cartago, que desenvolveu um aplicativo para monitorar os níveis de umidade do lugar de cultivo e que se conecta, mediante mapas, com clientes dentro e fora da sua comunidade. “Desenvolvi esse projeto cultivando um produto com alto teor de proteína para uma alimentação mais saudável e uma produção sustentável”, disse Redondo.

 

Um dos objetivos do rally foi converter as jovens e os seus desenvolvimentos tecnológicos em agentes de transformação para outras mulheres e meninas. Para Rafaella Sánchez Mora, Coordenadora da Unidade Técnica para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres do PNUD na Costa Rica, “esta iniciativa é muito valiosa por trazer soluções inovadoras, que respondem aos problemas das comunidades desenvolvidas por atores locais”.

 

 

Fonte:Redação/AgroLink
FOTOS DA NOTÍCIA