Mato Grosso, Segunda, 19 de Abril de 2021
Agronegocio | Garantia de Preços Mínimos
Sexta, 05 de Março de 2021
Mudança em cálculo de crédito rural pode reduzir prejuízos de produtores rurais
Fotografia:Divulgação/Luiz Chaves/JC

Não bastasse a estiagem registrada no início do plantio e o excesso de chuvas durante a colheita da soja, produtores de Mato Grosso precisam estar atentos as oscilações das commodities agrícolas.

 

Em virtude da ampla concorrência (procura e oferta) o mercado segue aquecido e nada propício ao agricultor. Isso porque, a maior parte da produção foi negociada com antecedência e com preço médio atrelado à Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), em se tratando de tomadas de empréstimos rurais, e não ao do valor praticado pelas comodities.

 

Para reduzir essa discrepância e eventuais prejuízos, o deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) propôs, por meio da indicação nº 1603, a inversão na base de cálculo que resulte em garantia de contratos futuros.

 

Na avaliação do parlamentar, o PGPM deveria servir para equilibrar a cadeia econômica de produtos primários e não como parâmetro para a fixação de garantia da dívida em caso de inadimplemento.

 

“É preciso que os bancos participantes do sistema de financiamento privado (créditos rurais), adequem suas políticas de risco a realidade mercadológicas das commodities e exijam as garantias aos financiamentos de acordo com o preço médio registrado para os mercados futuros à eles vinculados”, observa.

 

Para o deputado a política de risco, que usa o preço mínimo como critério para quantificar a garantia dos contratos, ‘amarra’ uma quantidade desproporcional de produto em relação ao crédito.

 

“Isto traz prejuízos até às próprias instituições financeiras que fornecem menos empréstimos do que poderiam, haja vista, que adotam precificação aquém do mercado”, completa Dal Molin.

 

A indicação foi encaminhada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ao presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado federal Sérgio Souza (MDB/PR) e aos presidentes da Federação Brasileira de Bancos (Fenabran) e do Banco do Brasil, respectivamente, Isaac Menezes Ferreira e André Brandão.

 

PGPM

Criada para diminuir oscilações na renda dos produtores rurais, além de assegurar uma remuneração mínima, a Política de Garantias de Preços Mínimos é efetivada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e atua como balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção agrícola e, desta forma, garantindo a regularidade do abastecimento nacional.

 

Dificuldades na colheita

Maior produtor de soja do país, Mato Grosso deve colher em torno de 35,74 milhões de toneladas nesta safra, segundo estimativa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

 

Entretanto, entidades ligadas ao setor produtivo têm contrariado essa projeção. O motivo seriam os fatores climáticos que ainda dificultam a colheita da oleaginosa e, por consequência, a semeadura da safrinha de milho.

 

Um levantamento divulgado recentemente, aponta que 40 por cento da safra ainda não foi colhida o que dificulta a situação do produtor se levado em consideração que a cada dia de atraso, maior é o prejuízo.

 

Fonte:Redação/Assessoria
FOTOS DA NOTÍCIA