Mato Grosso, Domingo, 24 de Junho de 2018
Geral | sonegação fiscal
Quarta, 13 de Junho de 2018
Riva e família sofrem o bloqueio de R$ 55 mi em ação da Ararath
Fotografia:Reprodução

O ex-deputado estadual José Riva e membros de sua família foram alvos de um bloqueio que soma R$ 55 milhões. A medida foi autorizada pela 4ª Vara Federal de Cuiabá no bojo de uma ação por sonegação fiscal, a pedido do Grupo de Operações Especiais de Combate à Fraude Fiscal Estruturada (Goeff) juntamente com a Procuradoria da Fazenda Nacional do Estado (PFN-MT). A informação é da repórter Janaiara Soares, do jornal A Gazeta.

 

A investigação, segundo a reportagem, está sob sigilo, mas aponta que o imposto não declarado é oriundo de recursos supostamente recebidos por meio do esquema relacionado à Operação Ararath, na qual empresários e políticos são suspeitos de criar um sistema de bancos clandestinos para lavar dinheiro de origem ilícita, grande parte desviado dos cofres públicos.

 

Esses tributos seriam decorrentes da omissão de valores identificados pela Receita Federal por meio de depósitos de origem não comprovada por Riva. Parte desses valores seriam fruto de supostos contratos com factorings e empresas de fomento mercantil. Uma das empresas da família Riva teria sido usada para movimentar o dinheiro, comprando um imóvel de R$ 18,6 milhões, cujo tamanho equivale a mais de 66 mil campos de futebol.

 

Por meio de nota, o advogado de Riva, Rodrigo Mudrovitsch, disse que irá recorrer ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) com um recurso denominado agravo de instrumento. “Insta salientar que todas as questões fiscais discutidas na Medida Cautelar em trâmite na 4ª Vara Federal de Cuiabá/MT ainda se encontram controvertidas na esfera administrativa, sendo certo que os processos lá analisados estão pendentes de julgamento junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF)”, diz trecho da nota.

 

Mudrovitsch comenta que as questões fiscais discutidas na cautelar “ainda se encontram controvertidas na esfera administrativa, sendo certo que os processos lá analisados estão pendentes de julgamento junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais”.

 

assegura que combaterá até as últimas instâncias o que entende ser uma “ilegalidade novamente perpetrada em desfavor do sr. José Geraldo Riva e de seus familiares”.

Fonte:Redação / RD News
FOTOS DA NOTÍCIA