Mato Grosso, Terça, 20 de Novembro de 2018
Geral | morte de bancária
Quarta, 15 de Agosto de 2018
'Dr. Bumbum' é denunciado por homicídio doloso e pode pegar até 30 anos de prisão
Fotografia:Reprodução / Leo Correa/AP

O Ministério Público do Rio de Janeiro apresentou denúncia contra o médico Denis Furtado, conhecido como Dr. Bumbum, apontado como o responsável pela morte da gerente bancária de Cuiabá, Lilian Calixto, em julho deste ano, após realizar um procedimento estético no apartamento dele, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ele responderá por homicídio doloso.


O órgão ainda denunciou pelo crime a médica Maria de Fátima Barros Furtado, mãe do Doutor Bumbum, a secretária e namorada dele, Renata Fernandes Cirne, que está grávida, e sua empregada doméstica, Rosilane Pereira da Silva.

 
Conforme a denúncia, Denis Furtado atuava de forma irregular no Rio de Janeiro, já que só estava inscrito nos conselhos regionais do Distrito Federal e de Goiás. Com o registro cassado, a mãe de Denis apresentava-se como médica e atuava com o filho nos procedimentos cirúrgicos, captando pacientes e orientando-as quanto à quantidade de produto a ser injetada.

 
Os quatro acusados foram enquadrados no artigo 121 do Código Penal – matar alguém mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe. Eles podem pegar de 12 a 30 anos de reclusão, caso a justiça reconheça o dolo eventual, quando o indivíduo assume o risco de morte.


Denis Furtado e sua mãe, Maria de Fátima Furtado, foram presos dias depois do crime, em um centro empresarial na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele foi detido por policiais do 31º BPM (Barra da Tijuca) após receberem informações do Disque Denúncia.

 
Os dois estavam com mandado de prisão temporária expedido por 30 dias pelo homicídio da bancária Lílian Calixto, que morreu após procedimento estético realizado no apartamento de Denis.


 
O caso
 
Segundo fontes ouvidas pelo Olhar Direto, Lilian teria ido para o Rio de Janeiro fazer um preenchimento de glúteo com PMMA, no sábado (14), pela manhã. Primeiramente, a cirurgia estaria marcada para acontecer em Brasília, mas foi transferida em cima da hora para o Rio. Ela trocou a passagem e foi.

 
No sábado, após o procedimento, Lilian chegou a sair do local onde foi atendida para ir jantar. Logo depois, começou a passar mal e foi hospitalizada e sofreu um mal súbito. A hora da morte foi registrada às 2h da madrugada. No entanto, o Hospital teria ligado para o telefone do responsável – uma amiga, a única que sabia que ela faria o procedimento – só doze horas depois, às 14h deste domingo (15).

 
Lilian foi gerente do antigo HSBC e estava, agora, à frente das contas do banco Bradesco. Natural de Barra do Bugres, ela era muito conhecida na capital. Ela deixa dois filhos. Um rapaz de 25 anos, e uma menina de 13, além do marido.

 
O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) abriu procedimento para apurar o caso. Famoso nas redes sociais, o médico possui mais de 600 mil seguidores e ofertava procedimentos de estética no Rio, em São Paulo e em Brasília. Nas redes sociais, ele é conhecido como 'Doutor Bumbum', em alusão aos procedimentos que realizava. (Com informações do Jornal O Globo)

Fonte:Redação / Olhar Direto
Autor:Wesley Santiago
FOTOS DA NOTÍCIA