Mato Grosso, Quarta, 23 de Maio de 2018
Dicas-e-novidades | SAÚDE E BEM ESTAR
Sexta, 11 de Maio de 2018
Fazer jejum por 24 h impulsiona regeneração de células-tronco intestinais

Estudos anteriores já apontaram que dietas de baixa caloria podem ser a chave para ter uma vida mais longa e saudável. Mas por que isso funciona? Após examinar os efeitos do jejum de 24 horas em camundongos, um novo trabalho encontrou uma mudança metabólica que pode impulsionar a regeneração de células-tronco no intestino.

 

A descoberta é interessante pelo fato de essas células não se regenerem de forma tão eficaz quando envelhecemos, apesar de seu papel importante de nos auxiliar a manter o tecido intestinal saudável e combater doenças. O trabalho foi publicado no Cell Stem Cell.

 

As células-tronco intestinais, que os pesquisadores descrevem como os "cavalos de batalha do intestino", tipicamente renovam o revestimento intestinal a cada cinco dias, mais ou menos. Só que com a troca metabólica ativada, como a pesquisa comprovou, é possível tornar essa renovação mais acelerada.

 

No laboratório, a equipe coletou células-tronco intestinais de camundongos que jejuaram por 24 horas, cultivando-as em cultura para aumentar as massas de células chamadas organoides, uma espécie de "intestino delgado" semelhante a um órgão.

 

Ao fazerem isso, perceberam que a capacidade regenerativa das células-tronco dos ratos em jejum era o dobro da dos ratos normais, que não haviam jejuado. Para os pesquisadores, foi óbvio o efeito da restrição calórica sobre a sobre a capacidade das criptas intestinais de formarem mais organoides, algo que é impulsionado pelas células-tronco.

 

Mais estudos

Os pesquisadores ainda precisam investigar melhor para entenderem totalmente a extensão dessa mudança metabólica e seu funcionamento até para checar se é tão facilmente manipulada em humanos quanto em ratos, por exemplo.

 

No futuro, contudo, a ideia é conseguir ativar essa mudança metabólica com a ajuda de alguma pílula ou outro tratamento medicamentoso, aumentando a saúde intestinal dos pacientes sem exigir que eles jejuem.

Fonte:Redação / UOL
FOTOS DA NOTÍCIA