Mato Grosso, Terça, 17 de Julho de 2018
Dicas-e-novidades | ALIMENTAÇÃO
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
Comer queijo todo dia pode reduzir risco de doenças cardíacas

Nem sempre o queijo é considerado o alimento mais saudável da lista de supermercado. No entanto, um novo estudo publicado no European Journal of Nutrition sugere que comer um pouquinho de queijo todo dia nos deixa menos propensos a desenvolver doenças cardíacas ou ter um acidente vascular cerebral.

 

Para saber como o consumo de queijo a longo prazo afeta o risco de doenças cardiovasculares, pesquisadores da China e da Holanda combinaram e analisaram dados de 15 estudos observacionais com mais de 200 mil pessoas.

 

Os pesquisadores descobriram que, no geral, as pessoas que consumiam mais queijo tinham um risco 14% menor de desenvolver doença cardíaca coronária e 10% menos chances de ter um acidente vascular cerebral do que aqueles que raramemente ou nunca comiam queijo.

 

As pessoas que tiveram menores riscos de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais consumiam, em média, cerca de 40 gramas por dia.

 

O estudo, no entanto, não conseguiu encontrar uma relação de causa e efeito entre o consumo de queijos e o menor risco de doenças cardíacas.

 

Em entrevista à revista Time, Allan Stewart, diretor de cirurgia aórtica da Ichan School of Medicina no Centro de Medicina Monte Sinai, que não participou do estudo, acredita que o tem qualidades benéficas que compensam o impacto negativo do alto teor de gorduras saturadas.

 

"O queijo contém ácido linoleico, um ácido graxo insaturado que aumenta a quantidade de colesterol HDL, considerado "bom", e diminui os níveis de LDL, o colesterol "ruim". Também há evidências de que o queijo como substituto do leite pode realmente ter um efeito protetor no coração", diz Stewart.

 

Como o estudo não analisou diferentes tipos de queijo, Stewart acredita que são necessárias mais pesquisas para identificar se certos tipos são mais benéficos para a saúde do que outros.

Fonte:Redação / UOL
FOTOS DA NOTÍCIA