Mato Grosso, Terça, 20 de Novembro de 2018
Cidades | mundo "cão"
Sexta, 14 de Setembro de 2018
Mulher que inventou estupro ajudou matar marido para esconder traição com cunhado
Fotografia:Reprodução

A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, na quarta-feira (12), quatro pessoas acusadas de participação no um homicídio de Odair José de Lima, de 29 anos, em agosto passado, no município de Nossa Senhora do Livramento (localizado a 38 km da Capital). A mulher e o irmão da vítima, C.S.F, de 28 anos, também foram presos acusados de planejar o crime.

 

Odair, segundo a polícia, foi assassinado em uma área rural, localizada nas proximidades da BR-070, depois de afirmar que mataria ladrões que teriam roubado sua casa, levando duas espingardas de calibre 28 e 12 e estuprado sua mulher.

 

No entanto, investigações da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) apontam que a mulher da vítima mentiu em depoimento quando registrou boletim de ocorrência de estupro e roubo.

 

As suspeitas começaram após uma série de tentativas de reconhecimento por parte da mulher, até então vítima. Porém, ela pontou semelhanças (aparelho dental, voz…) entre seu cunhado, Cláudio de Campos Rodrigues, 23, com o homem que supostamente a teria estuprado.

 

A mulher disse, ainda, que teria ouvido dizer que quem indicou a casa para ser roubada teria sido outros familiares da vítima, Airton Santana de Arruda, Ademilson Antônio de Arruda e Carlos da Conceição Souza.

 

Baseada nas informações, a delegada Jannira Laranjeira Siqueira Campos, da DHPP, pediu a prisão dos arrolados no inquérito e as ordens judiciais foram cumpridas na quarta-feira.

 

Preso, Cláudio de Campos Rodrigues confessou participação no crime e ligou diretamente a mulher da vítima (C.S.F) ao caso.

 

Claudio declarou que foi até a residência do casal, no dia 08 de agosto, e fez sexo com C.S.F, com quem teria um caso extraconjugal, e que a própria, agora, acusada entregou as armas e munições para ele e o orientou que deixasse a casa toda bagunçada para aparentar ter sido alvo de bandidos. 

 

O investigado explicou que o relacionamento entre eles iniciou quando seu irmão foi preso após ocorrência de violência doméstica contra C.S.F. Durante o período da prisão, a mulher foi morar na casa da sogra, o que teria aproximado os dois.

 

Na delegacia, C.S.F. negou participação no crime. No entanto, segundo a delegada, em procedimento de acareação entre Claudio e a investigada houve uma série de contradições nas declarações da mulher.

 

“A acareação, aliada a todos os elementos colhidos nos autos, como o comportamento dela na data que relatou ter sido estuprada e também quando o marido foi assassinado aponta fortes indícios para seu envolvimento no crime”, explica.

 

Os trabalhos prosseguem para apurar e individualizar as condutas criminosas dos suspeitos detidos e também da mulher. A Polícia Civil representou judicialmente pela prisão da suspeita.

 

Leia também: Mulher é estuprada e marido é morto após jurar vingança

Fonte:Redação / Repórter MT
FOTOS DA NOTÍCIA