Mato Grosso, Quarta, 14 de Novembro de 2018
Agronegocio | temporada
Quinta, 25 de Outubro de 2018
Chuvas ganham força e avançam até o fim de semana em todo o país
Fotografia:Reprodução

Na madrugada desta quarta (dia 24) a região Centro-Oeste, o norte do Paraná e o noroeste e norte de São Paulo foram os locais que mais choveram no Brasil. O caso aconteceu em alguns municípios de Goiás, que acumularam 103 milímetros em uma noite, o que equivale a mais da metade da previsão para o mês. Salienta-se que em uma hora caíram em torno dos 55 milímetros. Tudo isso aconteceu por influência de áreas de instabilidade, associadas a um corredor de umidade que vem da Amazônia e mais uma frente fria que passa pela costa do Sudeste.

 

 

Quinta-feira

SUL

O tempo volta a ficar instável em toda a região Sul. A área de baixa pressão atmosférica, um corredor de umidade que vem da Amazônia e uma área de instabilidade nos níveis mais altos da atmosfera organizam nuvens carregadas e a chuva ocorre em forma de pancadas, com maior intensidade no oeste do Paraná, não se descartando o risco para novos temporais com queda de granizo. A chuva retorna no Rio Grande do Sul sob a influência de uma área de baixa pressão atmosférica, porém ainda sem grande intensidade.

 

SUDESTE

O dia será com muita chuva e temporais no Sudeste. A frente fria já se encontra mais afastada, mas os ventos úmidos que sopram do mar contra a costa, além da formação de uma área de baixa pressão atmosférica entre São Paulo e Minas Gerais, organizam as nuvens mais carregadas. Dessa vez, os temporais se espalham pelo norte e leste paulista, toda a metade sul mineira, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Tem chuva forte prevista também para áreas do norte de Minas Gerais, mas de forma mais pontual e rápida. Vale ressaltar que no interior paulista, os temporais dão trégua, mas o dia ainda será nublado e com chuva a qualquer hora.

 

CENTRO-OESTE

Pouca coisa muda e ainda chove de forma generalizada no Centro do país. A área de baixa pressão atmosférica segue organizando as nuvens mais carregadas e ainda há potencial para temporais em praticamente todo o estado de Mato Grosso do Sul. Já entre os estados mato-grossense e goiano, além do Distrito Federal, a chuva ocorre em forma de pancadas rápidas e sem grandes acumulados.

 

NORDESTE

Durante a quinta-feira, as instabilidades seguem perdendo intensidade e a chuva ocorre cada vez mais de forma pontual e com baixos acumulados. As nuvens mais carregadas se formam apenas na faixa sul baiana. Já nas demais áreas da região, o sol brilha forte entre poucas nuvens sob o efeito da massa de ar seco.

 

NORTE

Ainda chove na faixa oeste da região, mas dessa vez sem grande intensidade. As pancadas são rápidas e intercaladas com períodos de sol e muito calor. Já no lado leste, o sol brilha forte ao longo de todo o dia, devido à massa de ar seco.

 

Sexta-feira

SUL

A semana termina com temporais em todo o Sul do Brasil. Duas áreas de baixa pressão atmosférica entre a costa gaúcha e o Paraguai mantêm as nuvens carregadas e a chuva ao longo do dia nos três estados, além de darem origem a uma nova frente fria no fim do dia. Com isso, a chuva ocorre com potencial para temporais em praticamente todo o Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina e boa parte do Paraná, com chuva forte, volumosa, acompanhada por trovoadas, descargas elétricas e até queda de granizo.

 

SUDESTE

A semana termina com tempo fechado e ainda com muita chuva, especialmente no estado de São Paulo devido a área de baixa pressão atmosférica e também pela formação de instabilidades nos níveis mais altos da atmosfera. O risco para temporais é maior no oeste, norte, litoral e Vale do Paraíba, em São Paulo. Tem previsão de chuva forte também em áreas de divisa entre Minas Gerais e Espírito Santo por conta dos ventos úmidos que sopram do mar contra a costa. Já nas demais áreas do Sudeste, as pancadas são rápidas e sem grande intensidade.

 

CENTRO-OESTE

A chuva não dá trégua, especialmente no centro-sul de Mato Grosso do Sul, ainda com chuva forte, volumosa e com potencial para temporais até com queda de granizo. Nas demais áreas da região, a chuva também persiste, mas sem grande intensidade, além de ocorrer intercalada com períodos de sol.

 

NORDESTE

Pouca coisa muda na região e a chuva persiste apenas na faixa sul da Bahia, em forma de pancadas rápidas e sem grandes acumulados. Nas demais áreas do Nordeste, o tempo firme predomina.

 

NORTE

A chuva retorna sobre a maior parte da região Norte por conta de instabilidades que se formam no alto da atmosfera. A chuva ocorre em forma de pancadas rápidas e sem grandes acumulados. O tempo firme segue predominando apenas no extremo leste do Pará e sobre a maior parte do Tocantins.

Fonte:Redação / Canal Rural
FOTOS DA NOTÍCIA